Assine o [FEED] e receba nossos posts no seu email!

.

Você acabou de adentrar no mais íntimo do meu ser, na parte onde a poesia reina, onde o instinto poético que me foi presenteado de nascença, me fez exprimir os mais variados sentimentos, onde toda fúria e amor se mesclaram concedendo asas à minha imaginação para combinar cada vernáculo e construir tudo que reside aqui. Aproveita e partilha desse ímpeto...


segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Geocentrismo


Os espíritos ancestrais
Vagam pelos cantos
Melancólicos e cabisbaixos
Inspirando a angústia em tudo.
O aroma de morte e ódio
Incensa e rodeia o globo.
Os espíritos dentre as sombras
Dizem não haver esperança
O amor humano findou.
O sorriso puro das crianças
Foi corrompido pelos adultos.
O sangue dói ao percorrer as veias
Coagula até chegar ao coração
Uma pedra sem emoção
Esse é você todos os dias
Vê famílias ao relento
Espantalhos esquisitos e esquecidos
Querubins pranteando com um vazio
Um vazio na alma e no estômago
Virar o rosto é a melhor saída
Fingir é melhor que se importar
Seus filhos ao seu lado alimentados
E agasalhados
Nada mais importa.
Você alega serem tantos
Como poderia ajudá-los, não é mesmo?
O ego imundo é o mundo
O universo é apenas o Sol, a Terra e a Lua.


Claudenor de Albuquerque
Comentários
10 Comentários

Comentário(s)

10 comentários:

Dina a Ciganinha disse...

Claudenor,
Seu poema é triste, porém verdadeiro; Um tema oportunoe polêmico que retrata a verdade nua e crua, onde a indiferença prevalece!
Um grandioso texto digno de aplausos!
Parabéns por descrever tão claramente o que muitos não desejam ver!
Obrigada por seguir meu blog.
Te seguirei tb!

"Fingir é melhor que se importar
Seus filhos ao seu lado alimentados
E agasalhados
Nada mais importa.
Você alega serem tantos
Como poderia ajudá-los, não é mesmo?
O ego imundo é o mundo
O universo é apenas o Sol, a Terra e a Lua."


bjs no coração!
Diná

Claudenor disse...

Dina muito obrigado pelo seu comentário. Obrigado mesmo. é uma honra ter você aqui em meu blog e ter você me seguindo. Grande abraço

Geninha disse...

Meu Amigo, quanta verdade em tuas palavras,
apesar de triste, tu consegues descrever a
triste realidade humana sem chocar.Seremos
assim tão insensíveis as dores do nosso próximo?
Lendo o que escreveste, tenho minhas dúvidas..
acho que poderíamos ser mais solidários.
Parabéns Poeta!!
Bjo!!

Claudenor disse...

Muito obrigada amiga pela reflexão de meu texto e pela sua visita. Obrigado por estar me seguindo também.

Anônimo disse...

o que vc escreveu, è a realidade da vida...TRISTE...quem sabe um dia, à gente possa lêr poemas de amôr ao pròximo, com um final fêliz....basta essa gente que finge , que não vêr, acordar para a realidade...vamos tôdos v amos,a começar por nòs... beijinho...

Claudenor disse...

Muito obrigado pelo comentário e por sua visita. Grande beijo

ANTOLOGIA POÉTICA disse...

Certos momentos,
deliciosamente singulares,
passam a ser tão importantes
que, na falta daquele instante,
deixa um vazio perturbador.
O coração fica inquieto
e, na sombra desta ausência,
desperta uma gostosa saudade.


MAURICIO FREYESLEBEN


Amor & Paz na sua noite! M@ria

Nell disse...

Triste mesmo... e como disseram no primeiro comentário, "Triste e Verdadeiro".

Abraços Amigão!!!

Claudenor disse...

Maria muito obrigado pelo belíssimo poema aqui transcrito. Muito obrigado por sua visita.
beijo

Claudenor disse...

Nell cara muito obrigado pelo comentário e pela sua visita mano. Grande abraço pra ti e vamo fazer o filme huahuauhhua

Postar um comentário

Gostou do que viu? Então deixe seu comentário para nos dizer do que gostou. Críticas também são bem aceitas.