Assine o [FEED] e receba nossos posts no seu email!

.

Você acabou de adentrar no mais íntimo do meu ser, na parte onde a poesia reina, onde o instinto poético que me foi presenteado de nascença, me fez exprimir os mais variados sentimentos, onde toda fúria e amor se mesclaram concedendo asas à minha imaginação para combinar cada vernáculo e construir tudo que reside aqui. Aproveita e partilha desse ímpeto...


segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Receita de Vida


Espero o fim das aparências
Da futilidade
Das máscaras
Da brisa que sempre esteve aqui.
Quero vento, tempestade, chuva, roupa molhada e prazer desmedido
Quero deletar de mim o medo de viver
Tentar, sorrir, errar, amar, e de ser eu.
Quero comer carne vermelha
Correr na areia
Falar de boca cheia
E fazer o que eu quiser.
Não tolero ordens
E tampouco faço o que os outros esperam.
Quero abolir o óbvio e o banal
Nem sempre ser normal
E nem sempre tomar a decisão correta.
Quero esquecer os problemas
Refletir sobre o amor
Fazer amor
Esquecer o que passou
E as tristezas, as lágrimas e a solidão superar.
Viver sem fronteiras
Sem limites
Medos ou preocupações
Para enfim ser feliz
E aproveitar o pouco tempo que me resta.

Claudenor de Albuquerque
Comentários
4 Comentários

Comentário(s)

4 comentários:

Black. disse...

"E fazer o que eu quiser."
Claudenor, Muito bom...eu gostei
aind mais essa parte...!
Um abraço

RaFaeel Andreatta
Acessem
http://www.versosoutono.blogspot.com

Claudenor disse...

Valeu cara...muito obrigado mesmo pelo elogio. abraço

Susu disse...

PARABÉNS!

Amei todas poesias, sinto aqui varias possibilidades de enfrentar a vida com ela realmente se apresena.

Sofia Gonçalves

Claudenor disse...

Susu muito obrigado pelo seu recado. Fico feliz em saber que estou conseguindo passar alguma lição com minhas poesias. Continue Visitando se puder o blog. Abraço

Postar um comentário

Gostou do que viu? Então deixe seu comentário para nos dizer do que gostou. Críticas também são bem aceitas.